Dr. Adriano Leonardi

Artigos

8 sinais de que você está prestes a ter uma lesão muscular

Os músculos são os únicos geradores de força capazes de produzir movimento articular. Realizam contração convertendo energia química em trabalho mecânico. São 434 músculos, representando 40% do peso corporal; dentre estes, 75 pares de músculos estriados são envolvidos na postura geral e movimentação do corpo.

 

As lesões musculares são comuns nos esportes, com sua frequência
variando 10-55% de todas as lesões. Mais de 90% delas relacionadas com são distensões musculares.

Quando o músculo é submetido a uma tração excessiva, há sobrecarga das suas

fibras e a sua ruptura ocorre no ponto mais fraco: perto da junção entre o músculo e o tendão, conhecida como junção miotendínea.

 

+ O PRP no tratamento da lesão muscular

 

São diversos os fatores que podem levar a uma lesão muscular. Saiba se você esta perto de sofrer uma e previna-se!

 

 

  1. Você chegou aos 40!

 

O envelhecimento leva a alterações na estrutura da fibra muscular, com perda de água e redução da elasticidade, cuja consequência é uma incidência das lesões musculares mais alta nos “quarentões”.

a

 

 

  1. Você pratica uma única modalidade esportiva apenas uma vez por semana

 

A prática regular de qualquer modalidade esportiva condiciona melhor o indivíduo, no sentido de fortalecer, alongar e melhorar a agilidade neutro-motora. Para atletas profissionais, o treino funcional e de resistência são hoje considerados imperativos na preparação física e prevenção de lesões. Por este motivo, estatisticamente, aquele futebolzinho às quintas-feiras com os amigos traz alto risco de lesão muscular.

 

 

  1. Ficou muito tempo sem praticar absolutamente nenhum esporte, quer voltar a treinar e não considera necessária uma consulta pré-participativa com um médico do esporte

 

Em uma consulta pré-participativa, além da avaliação dos riscos cardiovasculares, outra grande função do medico do esporte está na prevenção de lesões. Além de avaliar o funcionamento dos grupos musculares e de aplicar testes funcionais para determinar a agilidade neuro-motora para o exporte que a pessoa quer praticar, sempre solicito o teste isocinético, cujo resultado traz a força, potencia e resistência musculares e o equilíbrio entre os grupos musculares. O desequilíbrio muscular, principalmente no membro dominante é hoje considerado um dos principais fatores ligados à lesão muscular.

 

+ Lesão Muscular: conceitos e tratamento

 

  1. Você pratica esporte sem a orientação de um treinador

 

Treinar sozinho sem o planejamento seguro de volume e intensidades levam a erros da execução do movimento e, em uma mudança brusca de direção ou em um SPRINT, existe grande chance da lesão ocorrer.

Indivíduos que treinam por conta própria também tendem a negligenciar o aquecimento prévio e consideram que 2 a 3 posições de alongamento são suficientes para a prevenção de lesões.

 

 

  1. Acha que aquela “fisgadinha” que sentiu na semana passada e que melhorou com 3 dias de uso de antiinflamatórios é besteira e que sente-se pronto (a) para voltar a treinar

Lesão-Muscular-1-Dr-Adriano-Leonardi

 

As lesões musculares são consideradas de difícil tratamento e não existe protocolo para retorno ao esporte. Suas altas taxas de recidiva levam muitos atletas, inclusive os mais famosos ao afastamento por muitas semanas ou meses. Em outras palavras: se você já teve a lesão a sua chance de uma nova lesão no mesmo local é muito grande.

Como a cicatrização da lesão ocorre por fibrose e a maturação e restabelecimento do grau de flexibilidade pré-lesão são muito individuais, todo cuidado no tratamento da lesão muscular é pouco.

O uso dos antiinflamatórios na fase aguda da lesão (primeiros 5 dias) tende a ser proscrito, pois estariam ligados a uma cicatriz com mais fibrose e menos músculo.

 

 

  1. Começou uma dieta por conta própria 

 

Toda dieta deve ser individualizada e adequada ao exporte que você pratica. Ao passo em que você avança no ganho de condicionamento físico e rendimento, ela deve ir sendo modificada. Dietas inadequadas podem levar a carências de micro e macro nutrientes com consequentes perda de massa muscular (sarcopenia). Isso, quando associado a uma hidratação inadequada, tanto pré-participativa, quando durante o treino podem levar a lesão muscular.

 

 

  1. Faz uso de determinadas medicações

Medicine

 

Apesar de controverso, alguns remédios de uso diário poderiam predispor a lesão muscular. A classe denominada estatinas, utilizadas no controle do colesterol tem sido apontada por alguns autores como a principal droga ligado ao enfraquecimento e ruptura muscular.

Por este motivo, seu uso deve ser monitorado em atletas e esportistas e seu uso não deve nunca ser descontinuado sem a orientação de um cardiologista.

 

 

  1. Você não dorme direito

 

Falta de sono gera estresse e vice-versa. O estresse está baseado, entre outros, na ativação do sistema hormonal hipófise hipotálamo (com a secreção do hormônio adrenocorticotrófico), que ativa a  glândula supra-renal, desencadeando uma secreção de hormônios glicocorticóides, como cortisol (formado a partir do ACTH). O cortisol aumenta a quebra de proteínas nos músculos, ossos e nos tecidos linfáticos, além de inibir a síntese protéica. Músculos mais fracos, em tese, teriam maior predisposição à ruptura.

 

 

Referências Bibliográficas

  1. Afagar P, Simonsen EB, Magnusson SP et al. A new concept for isokinetic hamstring: quadríceps muscule strength ratio. Am J Sports Med 1998;26:231-237.
  2. Agre JC. Hamstring injuries. Proposed aetiological factors, prevention, and treatment. Sports Med 1985;2:21-33.
  3. Askling C, Karlsson J, Thorstensswon A. Hamstring injury occurrence in elite soccer players after preseason strength training with eccentric load. Scand J Med Sci Sports 2003;13(4):244-50.
  1. Beaulieu JE. Developing a stretching program. Physician Sports Med 1981;9(11):59-65.
  2. Best TM, Garrett WE Jr. In: DeLee and Drez. Orthopedic sports medicine. Basic Science of soft tissue (muscle and tendon).Philadelphia: W. B. Saunders; 1994. p. 1-45.
  3. Bouitbir J, Charles AL, Rasseneur L, Dufour S, Piquard F, Geny B, Zoll J. Atorvastatin treatment reduces exercise capacities in rats: involvement of mitochondrial impairments and oxidative stress. J Appl Physiol. 2011;111(5):1477–83.
  4. Bruckert E, Hayem G, Dejager S, Yau C, Begaud B. Mild to moderate muscular symptoms with high-dosage statin therapy in hyperlipidemic patients–the PRIMO study. Cardiovasc Drugs Ther. 2005;19(6):403–14.

 

 

dr-adriano-leonardi-especialista-do-joelhoDR. ADRIANO LEONARDI

Médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte e cirurgia do joelho. Médico e fisiologista do esporte. Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Ambientes Remotos e Esportes de Aventura. + Conheça o Profissional

Comente