A cirurgia de micro-fraturas no tratamento da lesão cartilaginosa

A cirurgia de microfratura  é uma técnica cirúrgica articular para a reparação da cartilagem que funciona através da criação de pequenas fraturas no osso subjacente. Isto faz com que uma nova cartilagem seja desenvolvida a partir do que chamamos de “super-coágulo”. Este tipo de  cirurgia ganhou popularidade no esporte nos últimos anos; inúmeros atletas profissionais foram submetidos a este procedimento.

Em junho de 2010, Grady Sizemore de Cleveland Indians passou por cirurgia de microfratura depois de uma lesão cartilaginosa no joelho esquerdo .Em seu primeiro jogo de volta em abril 17, 2011, Sizemore não mostrou sinais de dor articular.

Artroscopia do joelho para a realização de micro-fraturas

A cirurgia é rápida (tipicamente com duração entre 30-90 minutos), e, por ser realizada pela artroscopia do joelho, é considerada minimamente invasiva, e pode ter um tempo de recuperação significativamente mais curto do que outras cirurgias cartilaginosas como a mosaicoplastia, osteotomia e uma artroplastia (substituição do joelho).

 

 

 

+ A Lesão Cartilaginosa do Joelho

 

Por que a cirurgia é realizada e qual sua indicação?

Defeitos da cartilagem articular crônicas não se curam espontaneamente. A ideia do procedimento baseia-se na criação cirurgica de micro-fraturas no osso subcondral (abaixo da cartilagem), causando a liberação de células-tronco mesenquimais multipotentes da medula óssea que podem curar com tecido de reparação que consiste de tecido fibroso, fibrocartilagem ou cartilagem hialina.  A qualidade do tecido de reparação após estas técnicas de medula óssea “estimulantes” depende de vários fatores, incluindo sexo e idade do indivíduo, da dimensão e localização do defeito da cartilagem articular. Estudos recentes mostram resultados piores em fumantes por tipicamente possuírem má circulação, também em pacientes idosos, pacientes com excesso de peso, ou uma lesão de cartilagem maior que 2,5 cm.

A figura mostra o esquema de como as micro-fraturas sao realizadas durante uma artroscopia

 

 

Eficácia

Após 1 ou 2 anos de cirurgia os sintomas existe grande chance de que os sintomas comecem a voltar, pois a fibrocartilagem formada parece desgastar , obrigando, muitas vezes  o paciente a retomar na reparação da cartilagem articular ou que seja optado por outros procedimentos cartilaginosos.

 

Plasma Rico em Plaquetas

Muitos autores tem defendido o uso do Plasma Rico em Plaquetas (PRP) ao procedimento alegando que uma concentração intra-operatoria maior de PRP dentro do joelho potencializaria uma maior migração de células-tronco, proporcionando melhor cicatrização.

 

 

Recuperação pós-operatória

No período pos-operatório, aconselha-se o paciente a utilizar muletas com descarga total de peso de 3 a 6 semanas.

Um estudo demonstrou uma taxa de sucesso de 75 a 80 por cento entre os pacientes  de 45 anos de idade ou mais jovens.  Para melhor re-crescimento de superfície articular , os pacientes precisam ser muito cooperativos, pois geralmente precisam estar de muletas por quatro a seis semanas ( às vezes mais) sem soltar o peso no membro onde o joelho foi operado. Quando possível, pode-se utilizar a máquina de CPM (Continuous Passive Motion) , que mantém o arco de movimento e contribui com o re- crescimento ideal da superfície articular .

 

 

E o futuro?

Procedimentos de implantação de condrócitos tem sido desenvolvidos nos últimos anos. Trata-se de um procedimento de reparação cartilaginosa baseada no cultivo de células cartilagnosas em laboratório e implante no tecido lesado. De acordo com alguns pesquisadores, um ano após o tratamento, o tecido regenerado associado a esta técnica seria de melhor qualidade do que o gerado na cirurgia de microfratura.

 

Artigos similares