Dr. Adriano Leonardi

Artigos

A lesao cartilaginosa do joelho _ dr adriano leonardi - especialista do joelho

A Lesão Cartilaginosa do Joelho

A cartilagem é um tecido que reveste as articulações do corpo e tem a função básica de absorver e melhor distribuir as cargas aplicadas. Isso ocorre devido a seu alto potencial de deformação plástica e por propriedades hidráulicas do líquido que auxilia na “lubrificação” articular, também conhecido como líquido sinovial. É rico em fibras de colágeno tipo II e é dividida em 4 camadas de células, denominadas condrócitos, que vão desde a superfície articular até o osso. São elas:

• Zona superficial, com poucas células e muitas fibras colágenas dispostas em trama para suportar cargas compressivas.
• Zona média, rica em células.
• Zona profunda, onde as células nascem e crescem em paliçadas.
• Zona de cartilagem calcificada, transição entre tecido cartilaginoso e o osso.

 

camadas da cartilagem

 

 

Potencial de reparo limitado
Sabe-se, desde a época de Hipócrates que a cartilagem articular lesada de potencial de cicatrização muito limitado. Isso se deve às propriedades histológicas do tecido cartilaginoso que, ao contrário da maioria dos tecidos do corpo, possui pouquíssimas células (hipocelularidade), não possui vasos sanguíneos (avascularidade), é aneural, ou seja, não possui terminações nervosas e é riquíssimo em água. Consequentemente, uma vez lesada, a reação inflamatória é muito pequena e a possibilidade de reparo, quase nula.

Para que uma lesão cartilaginosa se desenvolva, é necessário que haja trauma articular, que pode ocorrer em uma torção ou contusão direta. Geralmente, acompanha lesão a outras estruturas articulares, como distensões e rupturas ligamentares, lesões meniscais e fraturas.
Classificamos os defeitos condrais ou cartilaginosos quanto à sua localização, profundidade, (superficial ou profundo)e diâmetro. O tamanho da lesão e o local de sua ocorrência são fatores que influenciarão nos sintomas que o paciente desenvolverá. Um defeito cartilaginso de 3mm em uma área que não suporta peso tem, obviamente, melhor prognóstico que um defeito de 15mm em local de suporte de peso, por exemplo, na área de contato entre o fêmur e a tíbia.

 

+ Lesão Ligamentar do Tornozelo

 

A degeneração

Em estudos laboratoriais, aparentemente, a lesão cartilaginosa,no momento de sua ocorrência, libera mediadores inflamatórios dentro da articulação,que iniciam ciclo vicioso auto-perpetuante de morte celular e liberação de mediadores nocivos que resulta na redução da profundidade articular. Havendo perda estrutural, haverá, invariavelmente, distribuição anormal de peso entre os ossos, que resultará em deformidades, dor e limitação de movimento, processo também conhecido como osteo-artrose. Isso, sem dúvida, leva a limitações importantes ao esporte, fazendo com que a lesão cartilaginosa seja o grande desafio da medicina esportiva da atualidade.

É possível reparar cirurgicamente a cartilagem lesada?

No decorrer dos anos, muitas técnicas cirúrgicas que estimulassem a cicatrização e o reparo da cartilagem articular foram desenvolvidas, mas nenhuma se mostrou, até hoje 100% eficaz. O raciocínio de que uma reposta inflamatória eficiente poderia se desenvolver não da cartilagem lesada, mas do osso abaixo dela, também conhecido como subcondral, levou ao desenvolvimento da espongilização, drilling e micro-fraturas (figura 2 A), que nada mais são que “raspagens” ou perfurações múltiplas, causando sangramento e, consequente cicatrização. Observou-se, no entanto, que o defeito cartilaginoso é preenchido não por tecido cartilaginoso, mas por fibro-cartilagem, rica em fibras colágenas tipo I, com propriedades biomecânicas diferentes da cartilagem hialina articular. Atualmente, existe uma tendência em se indicar o procedimento em pacientes com idade acima de 40 anos, com múltiplas lesões, ou atletas de alta demanda com lesões pequenas, menores que 1 cm2.
Com a evolução das pesquisas, surgiram as técnicas que envolvem o transplante de tecido cartilaginoso. São conhecidos como transplante ostocondral e mosaicoplastia (figura 2). A primeira técnica envolve a retirada de um bloco de tecido cartilaginoso junto a tecido ósseo e inserção direta no defeito articular e a segunda envolve processo semelhante, porém com inserção através de paliçadas. São precedimentos indicados para pacientes jovens, com grandes defeitos ( 1 a 4 cm2).

 

tratamento cirúrgico da lesão cartilaginosa: a micro-fratura a esquerda e a mosaicoplastia a direita.

Tratamento cirúrgico da lesão cartilaginosa: a micro-fratura a esquerda e a mosaicoplastia a direita.

 

+ Assista aqui uma mosaicoplastia por artroscopia

 

O futuro
Uma nova técnica desenvolvida na escola suéca de Gothenburg aparenta ser promissora no tratamento de defeitos cartilaginosos. Trata-se da cultura de condrócitos (Figura 3). Nesta técnica, um pedaço de cartilagem sadia é retirado de uma área sadia, há tratamento e cresciemtno celular em laboratório por determinado período e, estas células cultivadas, são reimplantadas no defeito cartilaginoso e recobertas por um flap de periósteo, a membrana que envolve o osso. Os resultados a curto prazo têm se mostrado excelentes no alívio de dores e retorno ao esporte e demonstram que, talvez, a chave para a cura da lesão cartilaginosa seja a manipulação direta da célula,possivelmente através do trabalho em células-tronco, ou da clonagem tecidual.

cultura de condrocitos

Figura 3 – esquema mostra a adesão e cicatrização tecidual após a inserção da cultura de condrócitos.

 

Referências bibliográficas
• Peterson, L : Technique of Autologous Chondrocyte Transplantation[Technique].Techniques in Knee Surgery (C) 2002 Lippincott Williams & Wilkins, Inc.Volume 1(1), September 2002, pp 2-12.
• Koopman, William J., Moreland, Larry W.: Arthritis & Allied Conditions (15th Edition). Lippincott Williams & Wilkins, 2005.
• Scott W.N. : Surgery of the knee. (4 th edition) .Chirchill Livingstone.,2006.
• Andrade, A L L: Expressão do fator de transcrição HIF-1 em condrócitos cultivados em condições normais de oxigênio. Dissertação de mestrado apresentada à pós-graduação da faculadade de ciências médicas de universidade estadual de Campinas. 2006.
• Brittberg, M.; Nilsson, A.; Lindahl, A.; Ohlsson, C.; and Peterson, L.:Rabbit articular cartilage defects treated with autologous cultured chondrocytes.Clin. Orthop., 326: 270-283, 1996
• Breinan, Howard A. MS; Minas, Tom MD; Hsu, Hu-Ping MD; Nehrer, Stefan MD; : Sledge, Clement B: Effect of Cultured Autologous Chondrocytes on Repair of Chondral Defects in a Canine Model*.The Journal of Bone and Joint Surgery (American Volume). Volume 79-A(10), October 1997, pp 1439-1451
• Giannini, S.; Buda, R.; Grigolo, B.; Vannini, F. autologous chondrocyte transplantation in osteochondral lesions of the ankle joint. The Journal of Bone and Joint Surgery-British Volume (C) 2005 British Editorial Society of Bone and Joint Surgery.Volume 87-B Supplement I, 2005, p 59.
• Andrea F: Arthroscopic autologous chondrocyte transplantation for treatment of hip chondral defects
• The Journal of Bone and Joint Surgery-British Volume (C) 2006 British Editorial Society of Bone and Joint Surgery.Volume 88-B Supplement I, 2006, p 115.

 

dr-adriano-leonardi-especialista-do-joelhoDR. ADRIANO LEONARDI

Médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte e cirurgia do joelho. Médico e fisiologista do esporte. Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Ambientes Remotos e Esportes de Aventura. + Conheça o Profissional

7 comentários

  1. Pingback: Dr. Adriano Leonardi – A Cirurgia da condromalacia patelar

  2. Amauri Silva Britto - 25 de abril de 2013 00:50

    Tenho problemas semelhantes desde que eu era pré-adolescente. Incomodou durante muito tempo mas depois ficou esquecido, talvez, pelo fortalecimento muscular. A idade (56 anos) e o meu maior peso há algum tempo atrás (126,5 kg), somados a um desvio de coluna e (creio) um procedimento médico de punção do líquido da coluna fizeram retornar o incomodo da dor e, algumas vezes, a impossibilidade de locomoção! Preciso aprofundar-me no assunto! Amauri Britto

    Responder
    • Dr. Adriano Leonardi - 25 de abril de 2013 16:52

      Sr. Amauri, pela historia e faixa etaria, o sr. pode estar com artrose de joelho. O ideal seria procurar um médico p/ evitar que a lesao se agrave.

      Responder
  3. Rafael Marcato - 29 de janeiro de 2016 16:24

    Dr. o senhor aplica a técnica da cultura de condrócitos?
    Tenho pequenas lesões nos dois joelhos de pequeno tamanho, nivel IV.
    Obrigado.

    Responder
    • Rafael Marcato - 29 de janeiro de 2016 20:34

      Dr. senhor já respondeu em outro comentário, vou marcar uma consulta.
      Muito obrigado

      Responder
  4. edson daniel - 19 de setembro de 2016 16:05

    tenho 50 anos ja venho sofrendo com esse problema a anos, no primeiro incomodo a dez anos atras, fui diagnosticado com tendinite, apos esse diagnostico errado e ja acompanhado de um outro profissional ja fui diagnosticado com condropatia IV e III, qualquer esforço o minimo que seje meu joelho incha tanto e doi que nao consigo andar, faco gelo e aguardo a proxima dor.

    Responder
    • Dr. Adriano Leonardi - 19 de setembro de 2016 18:49

      Boa tarde, Edson.
      Se o sr tem uma lesão cartilaginosa e a mesma cursa com inchaço (agua no joelho), é um sinal de qua e evolução da doença não esta sendo boa e a tendência é se agravar. O aumento da dor e inchaço são critérios de tratamento cirúrgico da lesão.
      abs

      Responder

Comente