Dr. Adriano Leonardi

Artigos

A lesão meniscal em corredores de rua

Conforme já descrito em outros artigos, os meniscos são essenciais para a biomecânica normal da articulação do joelho, agindo como lubrificadores, estabilizadores, amortecedores e distribuidores de carga dentro da articulação. As fibras de colagéno de tecido dissipam as forças de compressão na articulação, reduzindo assim a força direta sobre a cartilagem articular, que cobre as superfícies articulares tibio-femorais.

lesão de menisco

A maior parte das lesões meniscais nos esportes, são causadas por entorse do joelho. Exemplos clássicos sao o lutador de jiu jitsu que acaba jogando muito torque no joelho em flexão máxima durante a passagem de guarda ou uma bailarina que acaba se desequilibrando durante uma aterrisagem.

Na corrida de rua, no entanto, as lesões meniscais estão ligadas ao micro-trauma de repetição. Em outras palavras, de tanto ser utilizado na dissipação de energia cinética, o nosso “amortecedor” acaba se lesionando.

 

 

+ Lesões meniscais: o que são, quais as suas causas e como lidar com isso

 

Estatisticamente, a maior parte dos corredores que venham a desenvolver a lesão são pessoas acima dos 40 anos. Fatores ligados a isso estão a desidratação progressiva dos tecidos corporais, a degradação do colágeno (ambos geneticamente determiandos) e a perda da capacidade de absorção do choque do pé ao solo pela massa muscular, tanto por redução da força, quanto pela queda da agilidade neuro-motora.

 

O que se sente?

dor no menisco

Área da dor na lesão do menisco medial

 

As lesões meniscais causam sintomas característicos como dor bem localizada com períodos de alívio e agravo a determinados movimentos como agachar e cruzar as pernas, inchaço, e bloqueio (travamento).

 

 

 

 

 Por que dói?

A dor aguda é causada pelo menisco lesionado (“rasgado”) que puxa sobre a cápsula da articulação sinovial bem inervados. Inchaço resulta de inflamação da membrana sinovial e derrame (popular “água no joelho”) por excesso de produção de líquido sinovial.

Ao contrário das lesões ditas agudas (causadas por um trauma súbito), as lesões meniscais dos “quarentões” é enquadrada na categoria degenerativa.

Estas ocorrem como parte do desgaste progressivo em todo o conjunto, mais frequentemente em pacientes acima de 40 anos. Estas lesões são de clivagem, geralmente horizontais com mínima capacidade de cura.

As lesões podem ser descritas como sendo completas ou incompletas, estáveis ou instável e de vários padrões.

 

+ A técnica de sutura pode “salvar” o menisco lesionado

menisco

Figura 3

 

Quanto `a sua morfologia (figura 3), podem ser verticais, longitudinais (incluindo “alça de balde” onde o fragmento rasgado pode bloquear a extensão total da articulação do joelho), oblíqua / bico de papagaio ou “flap”, lesões radiais ou horizontais.

 

 

A maioria é composta de lesão vertical ou oblíquo (80%). O menisco medial é mais comumente afetado – 75% contra 25% no menisco lateral, 5% dos pacientes terão lesões bilaterais.

Alguns tipos de lesões podem provocar uma ação semelhante a válvula dentro da substância do menisco, e isso pode levar `a formação de um cisto meniscal, que deve ser tratada da mesma forma, abordando o problema principal que é a lesão do menisco. A chance da formação de um cisto meniscal no menisco lateral é 7x maior que a do menisco medial.

 

Tratamento

artroscopia do joelho dr adriano leonardi

Figura 4: artroscopia do joelho

Ao contrário da lesão traumática aguda, a literatura é conflitante quanto ao tratamento desta categoria de lesão, principalmente entre corredores de rua a partir da quinta década de vida. Alguns autores sugerem apenas o acompanhamento clínico, pois se trataria de um processo degenerativo do joelho (artrose), outros são mais radicais, indicando a meniscectomia (retirada de parte do menisco a todos) devido ao risco de uma complicação pós-operatória relativamente comum, principalmente nas mulheres denominada “fratura por insuficiência”, na qual osso logo abaixo do menisco retirado acaba se edemaciando e causando muita dor, este procedimento, ao meu ver, deve ser sempre posto como o último recurso (figura 4).

Um fator importante a ser levado em conta nestas lesões é o quanto a lesão esta causando queda na performance do corredor(a).

 

Quando o comprometimento é pequeno, o ideal é apenas reabilitar. Recursos antiinflamatórios e o reequilíbrio muscular de uma fisioterapia especializada em esporte são imprescindíveis.

 

hyaluronicacidinjectionsQuando há queda do rendimento e a dor está ligada a perda de massa muscular, pode-se optar pela viscossuplementação. Conforme ja descrito em outros artigos, trata-se de um método de tratamento relativamente novo e consiste nas injeções intra-articulares de ácido hialurônico que é o mesmo componente que já existe no líquido sinovial de uma articulação saudável. Autores que defendem seu uso em lesões meniscais degenerativas, por se tratar de um processo de envelhecimento da articulação, o líquido sinovial perderia sua capacidade funcional com a idade e com o processo de artrose,  e o uso do dessas injeções de  ácido hialurônico exógeno desaceleraria a degeneração. O alívio dos sintomas facilitaria no ganho de massa muscular e retorno ao esporte.

 

Referências bibliográficas

  1. Fairbank, T.J. Knee Joint changes after Meniscectomy. J Bone Joint Surg 30B:4 664-671 1948
  2. Fauno, P. and Nielsen, M.D. Arthroscopic Partial Meniscectomy: A Long-term Follow-up. Arthroscopy 8:3 345-349 1992
  3. Arnoczky, S.P. and Warren, R.F. Microvasculature of the Human Meniscus. Am J Sports Med. 10:2 90-95 1982
  4. Henning, C.H.m Lynch, M,A, et al. Arthroscopic Meniscal Repair Using an Exogenous Fibrin Clot. Clin. Orthop 252:65-72 March 1990
  5. Dilworth Cannon, W. and Vittori, J.M. The Incidence of Healing in Arthroscopic Meniscal Repairs in Anterior Cruciate Ligament-Reconstructed Knees versus Stable Knees. Am J Sports Med. 20:2 177-181 1992
  6. Tenuta, J.J. and Arciero, R.A. Arthroscopic Evaluation of Meniscal Repairs – Factors that effect healing. Am J Sports Med. 22:6 797-802 1994

 

dr-adriano-leonardi-especialista-do-joelhoDR. ADRIANO LEONARDI

Médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte e cirurgia do joelho. Médico e fisiologista do esporte. Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Ambientes Remotos e Esportes de Aventura. + Conheça o Profissional

 

2 comentários

  1. Tiago Sanchez - 2 de outubro de 2016 17:06

    Dr,
    Muitos anos atras passei por uma retirada do menisco do joelho direito apos uma lesao em alça de balde. Hoje, aos 35 anos, nao pratico mais nenhum esporte de impacto (corrida, futebol, etc). Sei que existem tratamentos fora do brasil com implantes/transplantes pra substituir o menisco retirado. Gostaria de uma consulta com o Dr para avaliar meu joelho e possibilidades de tratamento.

    Obrigado,
    Tiago Sanchez
    11-98369-4696

    Responder
    • Dr. Adriano Leonardi - 3 de outubro de 2016 14:26

      Será um prazer poder te ajudar, Tiago.

      Responder

Comente