Dr. Adriano Leonardi

Artigos

Sobrecarga do joelho: uma condição muito comum no esporte

Absorvendo e transmitindo energia

O Joelho é uma articulação, cujas funções são a de absorver a energia cinética gerada pelo contato dos membros inferiores ao solo e transmitir o movimento aos demais seguimentos do corpo. Isto é feito através de dois mecanismos básicos: a chamada contração muscular excêntrica, onde a fibra muscular contrai e alonga-se resistindo ao movimento e aos graus de flexão durante o movimento.

Em uma corrida, por exemplo, a força de reação ao solo, que chega a ser duas vezes ao peso do indivíduo é absorvida pela flexão do Joelho entre 50 e 60 graus e pela resistência do quadríceps, ou músculo anterior da coxa. O restante é dissipado pelo quadril e coluna vertebral.

 

Desde o início dos anos 80, quando o joelho tornou-se a articulação em destaque na traumatologia do esporte devido à elevada incidência de lesões decorrentes da prática esportiva. Em estudos recentes de biomecânica, concluiu-se que é a articulação do corpo humano que mais trabalha próximo aos seus limites fisiológicos, ou seja, no coeficiente entre destruição tecidual e reconstrução, existe grande chance da segunda prevalecer e, consequentemente, haver lesão. Portanto, não só a prática esportiva, mas também atividades repetitivas da vida diária, como subir e descer escadas, andar, agachar-se podem desencadear dor e inchaço, sem causa maior aparente.

 

Para que o Joelho cumpra sua função de absorção e transmissão, três fatores são suficientes e necessários: boa flexibilidade de todas as cadeias musculares, desde os rotadores dos quadris, até flexores e extensores dos tornozelos, trofismo muscular e funcionamento harmônico da articulação femoropatelar, ou seja, desde que a rótula deslize de maneira fisiológica em seu “trilho”, a tróclea femoral.

 

+ Retorno ao esporte após lesão: o desafio é possível!

 

O que causa a sobrecarga?

Basicamente,a sobrecarga é causada por aumentos repentinos na intensidade e volume do treino em quem ja pratica esporte ou naqueles que começam a praticar de maneira abrupta, sem o preparo físico adequado e sem a orientação de um treinador.

 

O que se sente?

Queixas comuns incluem:

  •  Inchaço no joelho
  • Estalidos
  • Sensações de falseio
  • Sensação de areia dentro do joelho
  • Dor que pode ou nao melhorar após a prática esportiva

 

 

 

As lesões

Havendo sobrecarga, diferentes estruturas serão lesadas e a sintomatologia estará intimamente ligada à idade, sexo e modalidade esportiva. Em outras palavras, ao correr 10 km diários, um homem adulto dificilmente terá as mesmas lesões que uma mulher da mesma faixa etária. Assim como um adolescente que pratique futebol 3 vezes por semana também  terá resposta inflamatória em locais diferentes,se comparado a um indivíduo idoso.

 

De uma maneira mais didática, podemos agrupar as lesões do joelho como:

A) Tendinites

B) Síndrome de Osgood-Schlatter

C) Sinovite difusa

D)Bursites

F) Condromalácea

G) Síndrome do atrito íleotibial

 

Tratando e prevenindo

A pedra angular do tratamento da dor no joelho consiste  na melhoria do trofismo, equilíbrio e flexibilidade  muscular e na correção de fatores que possam alterar o deslizamento entre a rótula e o fêmur. Levando-se em conta o fato de que nenhuma articulação trabalha sozinha, faz-se extremamente necessário a avaliação do tipo de pisada, alterações anatômicas do joelho e problemas oriundos dos quadris. Todos estes fatores podem alterar a cinemática do joelho e predispor a lesões.

Uma vez iniciado o tratamento, o grande desafio é melhorar a força, o equilíbrio e a flexibilidade de uma articulação dolorosa. Caso o paciente não coopere e exagere tanto em atividades da vida diária, quanto no retorno precoce a atividades físicas, pode haver o derrame articular, popularmente conhecido como “água no joelho”, uma reação inflamatória difusa da membrana que reveste a articulação com extravasamento de líquido para a mesma. Isto leva à inibição do reflexo do músculo quadríceps da coxa, com conseqüente atrofia muscular, formando-se um ciclo vicioso de difícil quebra.

 

Em linhas gerais, aí vão algumas orientações aos atletas e esportistas que têm ou já tiveram dor no joelho:

a) Aos iniciantes: Realizar avaliação física pré-esportiva com um profissional da área médica de sua confiança para que fatores intrínsecos seja detectados e corrigidos, como, por exemplo, a pisada pronada, ou supinada, encurtamentos  e desquilíbrios  musculares. A próxima etapa será praticar o esporte orientado por um instrutor da área, para que seja evitada a técnica inadequada.

 

b) Aos praticantes: Dor é sinal de lesão. É seu organismo lhe dizendo que algo não vai bem. Portanto, se o joelho dói, ou está inchado é hora de parar, procurar um médico ortopedista, reabilitar-se e, posteriormente, retornar ao esporte.

 

c) Aos atletas: O acompanhamento periódico da equipe por um médico do esporte é indispensável. Apesar de muitas vezes, o exame físico estar dentro da normalidade, pode haver algum grau de desequilíbrio muscular, muitas vezes somente detectado através do dinamômetro da avaliação isocinética e que, cedo ou tarde, poderá levar a lesões e comprometer sua performance.

 

dr-adriano-leonardi-especialista-do-joelhoDR. ADRIANO LEONARDI

Médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte e cirurgia do joelho. Médico e fisiologista do esporte. Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Ambientes Remotos e Esportes de Aventura. + Conheça o Profissional

Comente

2 comentários

  1. Eduardo de Oliveira Lima

    Ola Dr. Adriano. Meu nome é Eduardo Lima. Sou um corredor de montanha amador. Queria saber como funciona uma consulta com o senhor. estou sentindo uma dor no joelho esquerdo, po´s uma prova de 80K, na montanha a (TNF Agulhas Negras, que foi realizada dia 23 ultimo), tenho uma certa experiencia em treinos e provas, cerca de cinco anos, mas pouco antes da prova semanas antes, já estava sentindo algo diferente no joelho (na parte posterior um inchaço no tendão da perna esquerda, o tendão que fica a direita, na parte de traz do joelho.

    Fiz uma prova fantástica sem dor óssea, mas sentindo uma possibilidade de câimbras, nesta perna segurei o ritmo, terminando a prova entre os primeiros 37 atletas (haviam 300 nos 80K).

    Estou dando uma pausa nos treinamentos e descansando, fazendo gelo 105 minutos duas vezes por dia no joelho. Estou andando normalmente, mas com dor ao dobrar a articulação do joelho para abaixar por exemplo. O inchasso, que não foi grande tem diminuido. Mas sei que preciso ver o que foi isso (se foi agudo e ou cronico, pela idade tenho 42 anos a completar em Outubro).

    Enfim ainda quero correr muito e os joelhos robóticos ainda vão demorar uns 15 a 20 anos, então por muito tempo ainda.

    Então gostaria de ser informado como funciona sua consulta e o valor. Adicionalmente estou sem convenio médico e sei que os exames de imagens são bem caros. Mas o senhor que decide a necessidade e urgência ou não deles.

    aguardo seu contato.

    Obrigado

    Eduardo Lima
    +5511 994 662 518

    Responder