Condromalácia Patelar – Fatos e Mitos

Condromalácia Patelar – Fatos e Mitos

Compartilhe:

Condromalácia Patelar. A palavra provém da aglutinação dos radicais chondros, cartilagem e malacia, amolecimento, resultando portanto em “amolecimento da cartilagem” da patela. A lesão é, portanto um amolecimento desta cartilagem, que pode evoluir para sua total destruição.

Sabe-se que uma cartilagem articular lesada tem potencial de cicatrização muito limitado. Isso se deve às propriedades histológicas do tecido cartilaginoso que, ao contrário da maioria dos tecidos do corpo, possui pouquíssimas células (hipocelularidade), não possui vasos sanguíneos (avascularidade), é aneural, ou seja, não possui terminações nervosas e é riquíssimo em água. Consequentemente, uma vez lesada, a reação inflamatória de articulações é muito pequena e a possibilidade de reparo, quase nula.

Condromalácia patelar

Todos os dias, blogs e sites que abordam a condromalácia patelar recebem milhares de dúvidas e comentários. Na grande maioria das vezes, são pessoas que, frustradas em um tratamento sem sucesso, buscam tirar duvidas com a experiência de outras pessoas.

Seguem abaixo as principais  que tenho recebido meu site na última década:

 

1. Quem tem condromalácia patelar não pode praticar esportes

 

MITO!

A condromalácia patelar está ligada distúrbios biomecânicos e após melhora de sintomas, é imprescindível o fortalecimento seguido de prática regular de esportes de baixo impacto, prevenindo sua recidiva.

 

2. Mulheres tem mais chance de desenvolver condromalácia patelar que os homens

 

FATO!!

Mulheres possuem fatores anatômicos neuromusculares e hormonais que predispõem a doença. Saiba mais aqui.

 

3. Pratico muito esporte. O impacto vai sobrecarregar minha cartilagem e levará a condromalácia patelar

 

MITO!

A crença de que o esporte degrada mais as articulações caiu por terra há cinco anos atrás. Estudos recentes provaram que atividade física libera enzimas anti-inflamatórias (conhecidas como interleucinas IGF-1,TGF-BETA, IL4,IL10) no joelho que protegem a sua degeneração. Isso explica a taxa de desgaste de joelho ser infinitamente maior em pessoas sedentárias.

 

4. Fiz uma Ressonância do Joelho e, no laudo consta que tenho condromálacia patelar. Este exame é suficiente para meu diagnóstico?

Condromalácia patelar

 

MITO!

Desequilíbrios musculares e distúrbios biomecânicos estão intimamente ligados à origem da doença. Na ressonância, é muito comum imagens de degeneração da cartilagem, mas muitas vezes trata-se do envelhecimento fisiológico da cartilagem e a dor do paciente está em outro ponto do joelho.

Por isso, o diagnóstico de condromalácia patelar tem que ser dado pro médico que esteja familiarizado com o gesto esportivo que o paciente pratica. Após análise biomecânica, observando-se força excêntrica e sincronismo muscular, o médico deve observar as imagens de perda de cartilagem da patela e confrontá-las com o ponto de dor do paciente. Infelizmente, hoje muitos pacientes têm diagnostico de condromalácia patelar, quando na verdade, a lesão trata-se de uma tendinite patelar, hoffite ou plica sinovial inflamada.

 

5. Quem tem condromalácia patelar pode evoluir para artrose

 

FATO!!!

Uma vez lesada a cartilagem, a liberação de enzimas inflamatórias pode erodir o joelho como um todo. Motivo pelo qual, medidas condro-protetoras como a viscossuplementação são necessárias, ao menos na fase inicial, para prevenir a progressão da doença.

 

6. A musculação é contra-indicada para quem tem a condromálacia patelar

Condromalácia patelar

 

MITO!!!

Particularmente, trato a doença em 3 fases:

  1. Regenerativa, onde o fisioterapeuta age tirando a dor e realizando a ativação inicial da musculatura da coxa e quadril.
  2. Preventiva, onde o trabalho inicial do fisioterapeuta é continuado em academia, tendo muito cuidado com a angulação de proteção de cada máquina e ao padrão de contração muscular. Nesta fase, é comum haver erro de e execução e exige comunicação entre médico-fisioterapeuta e educador físico. Por este motivo, peço sempre a visita do personal trainer ao meu consultório ou encaminho para um profissional que tenha sido treinado pela minha equipe.
  3. Retorno ao esporte, onde a equipe de profissionais prescrevem a periodização do treino e retorno GRADUAL ao esporte.

 

7. Tenho condromalácia e nunca mais vou poder voltar a correr

 

MITO!

Como descrito no tópico acima, as 3 fases não podem ser negligenciadas. Para a corrida de rua, esporte de endurance muito popular nos dias de hoje, tomo alguns cuidados adicionais com meus pacientes, que incluem a realização de teste isocinético para avaliação de equilibro muscular, teste de baro-podometria, buscando possíveis pisadas patológicas como supinadores e pronadores extremos. Fatores fisiológicos individuais como níveis sanguíneos de GH, testosterona e vitamina D são de suma importância na prevenção de lesões de over-use.

 

8. Estou muito pesado(a). Isso pode agravar ainda mais minha condromalácia patelar?

Condromalácia patelar

 

FATO!

Para se ter uma ideia, a cada passo que a pessoa dá, duas a quatro vezes seu peso corporal é transmitida através da articulação do joelho. Assim, quanto mais você pesa, mais forte é o impacto em seu joelho.

Estudos mostram que, ao se perder 10 kg de peso, reduz-se em ate 20% da dor para joelhos com condromalácia.

 

9. Meu ortopedista me receitou Glicosamina e Condroitina. Segundo ele, isso vai ajudar na prevenção do agravo da doença

 

MITO!

Particularmente, considero mito por não haver estudos de nível de evidência suficiente que comprovem isso. Talvez por isso a American Academy of Orthopaedic Surgeons (AAOS) nos Estados Unidos tenha publicado um relatório em 2017 considerando o tratamento como ineficiente.

Particularmente, prefiro que meus pacientes realizem exercícios de baixo impacto como a natação, deep-running e bicicleta por liberarem enzimas anti-inflamatórias no joelho que utilizarem este produto que, aqui no Brasil, tem preço proibitivo.

Condromalácia patelar

Para o efeito condro-protetor, prefiro o uso do Acido Hialurônico por haver nível de evidencia maior em seu efeito de modificação da evolução da doença.

 

10. Se minha doença não melhorar, pode ser que eu precise de tratamento cirúrgico

 

FATO!

Apesar de ter indicação muito limitada, alguns pacientes, principalmente mulheres na 4ª década de vida, com degeneração avançada da faceta patelar lateral da patela, associada a hiper pressão lateral, podem se beneficiar com o tratamento cirúrgico.

 

Quer saber mais sobre Condromalácia Patelar?

 

 

Acesse nosso Canal no Youtube e Inscreva-se: 

 


Compartilhe:
Dr. Adriano Leonardi
dr@adrianoleonardi.com.br

Dr. Adriano Leonardi possui 20 anos de experiência em Ortopedia. É Médico Ortopedista Especialista em Joelho; Mestre em Ortopedia e Traumatologia; Médico e Fisiologista do Esporte; Membro da Diretoria da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva; Colunista e Consultor dos Sites 'Eu Atleta' e 'Globo Esporte'. Agende sua Consulta: (11) 2507-9021 ou 2507-9024

6 Comentários
  • Maria
    Postado as 15:07h, 26 abril Responder

    Muito bom o texto

  • Eliana Ribeiro dos Santos
    Postado as 21:19h, 05 junho Responder

    Dr. Adriano:

    Agradeço por disponibilizar esse espaço para tirarmos dúvidas, pois nem todos têm condições financeiras de consultar um profissional médico com sua qualificação. Eu fui diagnosticada com condropatia patelar grau IV e rotura do menisco medial nos dois joelhos. Estava muito triste, pois o ortopedista que consultei disse que não há possibilidade de melhora no meu caso, devido ao grau de condropatia. Posso ter apenas alívio da dor e a tendência é que meus sintomas piorem com o avanço da idade, pois já estou com 51 anos.
    Ao ler esclarecimentos de várias dúvidas semelhantes às minhas, fiquei um pouco mais consolada, por saber que existe sim possibilidade de levar uma vida normal novamente, apesar de não haver cura. Pena que estou morando em Brasília agora e não tenho como consultá-lo. Vou procurar aqui um profissional que seja humano e capacitado como o senhor, pois percebi pelos artigos disponibilizados que o senhor realmente tem interesse no bem estar dos pacientes.

  • Gislayne Brito
    Postado as 03:36h, 29 agosto Responder

    Dr. Adriano
    Boa Noite, Dr. Tenho uma inflação no joelho e tenho Derrame Articular, eu não prático esportes e meu joelho está doendo mas no período da noite, eu gostaria de saber se posso praticar ciclismo, mas ando pouco não forço muito gosto muito de andar de bicicleta.
    Já fui no médico ele passou vários antiflamatorio e falou para eu não força muito meu joelho o que eu faço?

    • Dr. Adriano Leonardi
      Postado as 19:22h, 29 agosto Responder

      oi, Gislayne!
      Respondi em seu email

  • Ricardo Fialho
    Postado as 10:23h, 08 outubro Responder

    Bom dia, tenho 33 anos. Sempre fiz corridas e fitebol. Há 4 anos faço ciclismo e tenho condromalacia patelar, recentemente fiz um pedal longo e desde então minhas dores voltaram, estou com dificuldade de caminhar, faço funcional 2 vezes por semana e pedalo 2 vezes por semana. Não sei o que tomar e fiquei curioso quanto a viscossuplementaçao. Você pode me ajudar. Obrigado.

Poste um Comentário