Infiltração Articular do Quadril de Atletas

Infiltração Articular do Quadril de Atletas

Compartilhe:

Como já descrevi em outros artigos, a artrose do quadril em pacientes jovens é uma doença que pode ir vagarosamente tirando o atleta do esporte e comprometer a qualidade de vida.

No quadril, a prevalência de osteoartrose (OA) aumenta com a idade. Nos jovens, os homens são mais afetados do que as mulheres, enquanto que ao longo da vida, mulheres são os mais afetadas, com severa limitação da atividade diária e qualidade de vida.

Em pessoas jovens, atualmente estuda-se uma doença denominada impacto da femoroacetabular (IFA), na qual a morfologia dos ossos do quadril pode levar a colisão entre a cabeça do fêmur e o osso do quadril, denominado acetábulo. Isso pode lesar secundariamente o lábio cartilaginoso (labrum) e desencadear a osteoartrose.

Infiltração Articular do Quadril de Atletas

 

Impacto da Femoroacetabular

O início da doença é caracterizada pela dor que aparece na virilha ou região lateral após atividades físicas mais intensas. Com repouso e o “corpo frio”, a dor surge como pontadas. Após alguns passos o desconforto melhora. Este estágio geralmente se prolonga por muitos anos e a piora ocorre lentamente.

Na evolução a dor pode aparecer durante as atividades da vida diária e existe real comprometimento da performance esportiva. Movimentos como calçar sapatos, cortar as unhas dos pés, entrar e sair do carro, começam a se tornar um pouco mais difíceis, devido a perda do movimento articular. Com a piora do quadro, as dores noturnas e a rigidez matinal surgem. Nesta fase já mais avançada, começa a perda real da qualidade de vida, quando a pessoa deixa de fazer o que lhe dava prazer.

Inicia-se o tratamento com fisioterapia e, se possível com hidroterapia, procurando fortalecer a musculatura regional e manter o arco de movimento. Exercícios de impacto devem ser evitados. A perda de peso também tem papel importante no tratamento, visto que o quadril suporta muito do peso corpóreo.

 

O Tratamento

O tratamento definitivo é a artroplastia total do quadril, cirurgia na qual toda a articulação é substituída pela prótese, composta de liga de titânio-cromo-cobalto. Apesar do design das próteses ter evoluído muito nos últimos anos e de permitir o retorno ao esporte em alguns casos, acredita-se que, quanto maior o impacto, maior a chance da evolução para a soltura. Por isso, quanto mais a protelação for possível, melhor. E, por este motivo, técnicas alternativas que possam aliviar a dor e manter o indivíduo ativo tem sido descritas e estudadas.

Em 1934, os pesquisadores Karl Meyer e John Palmer isolaram o ácido hialurônico (HA) em seres humanos, identificando-o como um produto da matriz extracelular de muitos tecidos maduros, incluindo o líquido sinovial. No início da década de 1960, criou-se a ideia de que a suplementação com ácido hialurônico poderia melhorar as propriedades dos fluídos sinoviais e tratar a dor articular. Pouco tempo depois, foram publicados os primeiros estudos sobre modelos animais e tentativas de tratar o uso de ácido hialurônico. Em 1997, o ácido hialurônico recebeu a aprovação da Food and Drug Administration (FDA) nos EUA para ser realizado em seres humanos.

No início dos anos 2000, o produto começou a ser utilizado em maior escala em portadores de artrose, principalmente no joelho, sendo a molécula inicialmente de alto peso molecular.

Nos últimos 15 anos, estudos mostraram que molécula de médio e baixo peso traziam os chamados efeitos “condroprotetores” por melhorar o ambiente fisiológico de uma articulação osteoartrítica, restaurando a viscoelasticidade reduzindo a fricção e melhorando a mobilidade.

Infiltração Articular do Quadril de Atletas

Por este motivo, começou a ser utilizada em outras articulações do corpo, dentre elas no quadril, acreditando-se que a injeção direta de ácido hialurônico no espaço articular permitiria atingir uma alta concentração com baixas doses, aumentando a permanência na articulação, com melhor resposta terapêutica.

Isso trouxe grande controvérsia ao meio cientifico, levantando-se a questão: “Essa amenização de sintomas e retorno ao esporte não poderia levar a uma destruição ainda maior do quadril”?

Para responder essa pergunta, alguns estudos de suma importância foram publicados nos últimos 3 anos em revistas científicas de renome como a American Journal of Sports Medicine, uma delas me chamou muito a atenção por tratar-se de uma revisão sistemática, um estudo secundário, que tem por objetivo reunir estudos semelhantes, publicados ou não, avaliando-os criticamente em sua metodologia e reunindo-os numa análise estatística, a reanálise, quando isto é possível.

Os resultados sugerem que o alívio da dor obtido a partir de uma injeção de quadril intra-articular suporta um diagnóstico de IFA e que tem melhores resultados nos casos iniciais, com casos de alívio terapêutico alcançado em até 12 meses, e que a resposta negativa a curto prazo seria um indicativo da real necessidade de uma prótese total de quadril.

Lembrando que a infiltração do quadril deve sempre ser guiado por ultrassom não só para reduzir o risco de uma lesão a artéria, nervo e veia femorais, mas também para que o ortopedista se certifique de que o produto foi realmente infundido dentro da articulação. Infiltrações realizadas “às cegas” podem causar extravasamento extra-articular e causar muita dor e desconforto que podem perdurar por semanas.

 

Referências Bibliográficas

  1. Berg P, Ilson U (2004) Intra-articular injection of non-animal stabilised hyaluronic acid (NASHA) for osteoarthritis of the hip: a pilot study. Clin Exp Rheumatol 22(3):300–306;
  2. Bragatini A, Molinaroli F (1984) A pilot clinical evaluation of the treatment of hip osteoarthritis with hyaluronic acid. Clin Ther Res 55:3319–3330;
  3. Caglar-Yagci H, Unsal S, Yagci I, Dulgeroglu D, Ozel S (2005) Safety and efficacy of ultrasound-guided intra-articular hylan G-F 20 injection in osteoarthritis of the hip: a pilot study. Rheumatol Int 25(5):341–344;
  4. Callaghan JJ, Albright JC, Goetz DD, Olejniczak JP, Johnston RC (2000) Charnley total hip arthroplasty with cement. Minimum twenty-five-year follow-up. J Bone Joint Surg Am 82(4):487–497;
  5. Chazerain P, Rolland D, Cordonnier C, Ziza JM (1999) Septic hip arthritis after multiple injections into the joint of hyaluronate and glucocorticoid. Rev Rhum Engl Ed 66(7–9):436;
  6. Conrozier T, Bertin P, Mathieu P, Charlot J, Bailleul F, Treves R, Vignon E, Chevalier X (2003) Intra-articular injections of hylan G-F 20 in patients with symptomatic hip osteoarthritis: an open-label, multicentre, pilot study. Clin Exp Rheumatol 21(5):605–610;
  7. Conrozier T, Vignon E (2005) Is there evidence to support the inclusion of viscosupplementation in the treatment paradigm for patients with hip osteoarthritis? Clin Exp Rheumatol 23(5):711–716;
  8. Kirwan J (2001) Is there a place for intra-articular hyaluronate in osteoarthritis of the knee? Knee 8(2):93–101;
  9. Migliore A, Martin LS, Alimonti A, Valente C, Tormenta S (2003) Efficacy and safety of viscosupplementation by ultrasound-guided intra-articular injection in osteoarthritis of the hip. Osteoarthritis Cartilage 11(4):305–306;
  10. Migliore A, Tormenta S, Martin LS, Valente C, Massafra U, Granata M, Alimonti A (2005) Open pilot study of ultrasound-guided intra-articular injection of hylan G-F 20 (Synvisc) in the treatment of symptomatic hip osteoarthritis. Clin Rheumatol 24(3):285–289.

 

Quer saber mais sobre Quadril?

 

 

Acesse nosso Canal no Youtube e Inscreva-se: 

 


Compartilhe:
Dr. Adriano Leonardi
dr@adrianoleonardi.com.br

Dr. Adriano Leonardi possui 20 anos de experiência em Ortopedia. É Médico Ortopedista Especialista em Joelho; Mestre em Ortopedia e Traumatologia; Médico e Fisiologista do Esporte; Membro da Diretoria da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva; Colunista e Consultor dos Sites 'Eu Atleta' e 'Globo Esporte'. Agende sua Consulta: (11) 2507-9021 ou 2507-9024

4 Comentários
  • Adriano Antonio Lottermann
    Postado as 15:00h, 03 setembro Responder

    Olá Dr.!
    Primeiramente, parabéns pelos ótimos artigos informacionais, tenho certeza que tens ajudado muitas pessoas com eles.
    Sobre mim, fui diagnosticado com osseoartrose no quadril esquerdo à um ano (29 anos na época), exatamente os mesmos sintomas que mencionaste no artigo, infelizmente tive que consultar com 3 médicos diferentes para descobrir a lesão, a recomendação médica foi parar de fazer qualquer atividade física que cause impacto. Antes disso, aos 20 anos, sofri lesão dos ligamentos, cartilagem e menisco do joelho direito, foram dois anos em tratamento e cirurgias para voltar aos gramados, até descobrir a lesão no quadril estava muito feliz, fazendo o esporte que gosto.
    Estive lendo seus artigos e a respeito da infiltração no quadril, gostaria de mais informações e também sugestões de locais onde posso tratar dessa lesão, sei que e uma lesão que ainda não existe um tratamento ideal, mas por hora, estou suportando a dor e ainda continuo jogar futebol e não gostaria de deixar de fazer isso por pelo menos mais 10 anos… Qual é a sugestão que o Sr. pode dar?
    Obrigado.

    • Dr. Adriano Leonardi
      Postado as 21:59h, 03 setembro Responder

      Oi, Adriano.
      Tenho realizado bastante esse procedimento importadores de artrose de quadril.
      Se puder passar em consulta comigo será um prazer poder te ajudar.
      Tel (11) 2507 9021.

  • Andreia
    Postado as 22:46h, 12 novembro Responder

    Olá Dr.
    Solicito por gentileza, se possível, o valor da infiltração nos dois joelhos. Já tenho indicação médica, mas não tenho confiança em realizar o procedimento, ainda.

    • Dr. Adriano Leonardi
      Postado as 23:16h, 12 novembro Responder

      Oi, Andreia

      Por gentileza, se informe em horário comercial nos tels. (11) 2507 9021/2507 9024

      Cordialmente,

      Dr Adriano Leonardi

Poste um Comentário