fbpx
 

O seu joelho saiu do lugar? Saiba o que fazer após o deslocamento da patela

deslocamento da patela

O seu joelho saiu do lugar? Saiba o que fazer após o deslocamento da patela

joelho saiu do lugar deslocamento patelar

Conhecido popularmente como deslocamento da patela e em linguagem médica como luxação traumática aguda da patela, essa condição é estatisticamente responsável por aproximadamente 3% de todas as lesões do joelho. 

O mecanismo principal de uma luxação aguda da patela é a flexão do joelho com rotação interna do corpo com o pé fixado. Existe também um componente de abertura da região de dentro do joelho chamada de componente em valgo. Na grande maioria das vezes, a pessoa está realizando mecanismo de frenagem, como ao descer ladeiras, driblar no futebol, aterrissagem de danças como o ballet. 

Fatores anatômicos como má formação (displasia) da patela, da tróclea femoral, joelho em valgo (em x), associados a má coordenação motora e fraqueza muscular dos membros inferiores fazem com que a patela se desloque (luxe) para a região externa. Em 2/3 dos casos ocorrem em pacientes jovens e ativos com menos de 20 anos de idade, especialmente entre as mulheres.

Isso ocorre porque a força que empurra a patela para fora (vetor de valgização) é mais forte que a força que estabiliza a patela para região de dentro do joelho (vetor de contenção).

 

O que se sente?

No momento do trauma é muito comum que a pessoa ouça um estalido que, em geral é seguido de incapacidade de locomoção própria.

O inchaço no joelho, ou derrame articular, é um achado típico após a luxação patelar. Isso pode causar dor intensa e limitar o exame clínico.

Também pode haver bloqueio articular. A incapacidade de flexionar o joelho pode indicar gravidade da lesão, pois pode ser causada pelo desprendimento de fragmentos de osso e/ou cartilagem articular.

 

O que acontece no joelho após o deslocamento da patela?

Após o primeiro episódio, pode haver ruptura do ligamento femoropatelar medial, lesão de estruturas que contém a patela no centro do joelho, conhecidos como retináculo medial, e a lesão mais temida no deslocamento da patela, que é a lesão da cartilagem articular.

Em geral, isso acontece devido ao fato da patela ao luxar levar consigo fragmentos de cartilagem da estrutura lateral de seu trilho conhecido como tróclea. A esta lesão, chamamos de lesão condral ou lesão osteocondral aguda com corpo livre intra-articular.

 

O que fazer após o deslocamento da patela?

O primeiro episódio nunca deve ser negligenciado. A ajuda médica deve ser procurada o mais rápido possível. Mesmo que não sinta muita dor, a patela pode estar deslocada para lateral causando complicações locais e trazendo prognóstico ruim a longo prazo.

Em ambiente de pronto-socorro, após constatar que a patela se deslocou, o médico deve solicitar exames de imagem com uma radiografia e, ao se constatar o deslocamento da patela, a mesma deve ser colocada no lugar (reduzida) sob anestesia local. O médico também deve descartar a possibilidade de lesão cartilaginosa associada. 

Se não houverem exames de imagens padrão ouro com uma ressonância magnética, o colega deve realizar uma punção articular. Ao se analisar o líquido e se constatar a presença de sangue associado a gotículas de gordura, existe altíssima chance de lesão condral (cartilaginosa). Neste caso, idealmente o paciente deve ser conduzido ao centro cirúrgico para abordagem diagnóstica e resolutiva.

Não se havendo suspeita de lesão cartilaginosa, o paciente deve ser imediatamente imobilizado por, pelo menos, 15 dias visando a cicatrização do ligamento femoropatelar medial.

Diversos estudos são enfáticos em dizer que essa atitude é essencial para se prevenir que a patela volte a se deslocar. Caso o paciente não seja corretamente imobilizado e o tempo mínimo não seja seguido, o ligamento interno ou femoropatelar medial pode sofrer cicatrização incompleta, tornando-se alongado e trazendo instabilidade ao joelho.

 

radiografia patela deslocada

Radiografia mostrando a patela deslocada

Tratamento

Após a retirada da imobilização, o paciente deve realizar sessões de fisioterapia visando o ganho de amplitude articular, o fortalecimento muscular e, posteriormente, a melhoria da qualidade do movimento. Dessa forma, prevenindo novos episódios de deslocamento da patela.

 

Quando precisa operar?

Conforme descrito acima, no momento da luxação da patela, ao constatar uma lesão cartilaginosa, a cirurgia estará indicada em caráter de urgência, sendo realizada a costura do ligamento interno rompido e a tentativa de fixação de fragmentos cartilaginosos soltos dentro do joelho. Caso não seja possível a fixação desses fragmentos, técnicas regenerativas, como a microfratura associada ou não a membrana de colágeno, devem ser empregadas.

 

O que pode acontecer com meu joelho?

Dependendo do grau de energia cinética no deslocamento da patela, pode haver afrouxamento do ligamento que a contém e da membrana articular. Levando, então, a uma doença chamada de luxação recidivante da patela, ou instabilidade femoropatelar, cujo tratamento costuma ser cirúrgico com a reconstrução do ligamento femoropatelar medial associado a outros procedimentos, como a mediatização da tuberosidade tibial anterior, e a liberação da estrutura que contém a patela na região lateral.

 

Joelheira deslocamento da patela

Joelheira após deslocamento da patela

Após o deslocamento da patela, devo usar joelheira?

Após a retirada do imobilizador de joelho, no período de recuperação dos primeiros 90 dias, uma joelheira simples pode trazer conforto por conseguir ativar melhor a musculatura e mostrar ao nosso cérebro onde a articulação se encontra no espaço. A isso chamamos em medicina de propriocepção.

A joelheira, entretanto, não substitui uma boa reabilitação e um bom trabalho de fortalecimento e reequilíbrio muscular. Muito importante que seu médico te encaminhe para um fisioterapeuta de confiança após esse primeiro episódio. Fraqueza muscular residual e distúrbios do movimento são comuns em pacientes que não realizam a reabilitação de maneira adequada.

Dr. Adriano Leonardi
[email protected]

Dr. Adriano Leonardi possui 20 anos de experiência em Ortopedia. É Médico Ortopedista Especialista em Joelho; Mestre em Ortopedia e Traumatologia; Médico do Esporte; Membro da Diretoria da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva; Colunista e Consultor dos Sites 'Eu Atleta' e 'Globo Esporte'. Agende sua Consulta: (11) 94754-9183

Não há comentários

Poste um Comentário

Olá!

Gostaria de receber uma ligação?