fbpx
 

Pisada pronada e dor no joelho, qual a relação?

pisada pronada

Pisada pronada e dor no joelho, qual a relação?

O tipo de pisada influencia diretamente na biomecânica de nosso corpo. Seja ela pronada ou supinada, há uma interferência direta nas articulações dos membros inferiores e também da coluna. No caso da articulação do joelho, a pisada pronada interfere diretamente na sua mecânica. Mas será que isso causa dores? Ou está diretamente relacionado a dores no joelho?

O que é a pisada pronada e como ela interfere na biomecânica do joelho?

A pisada pronada é quando o pé é projetado “para dentro”. A pronação muda o centro de gravidade do pé, sobrecarregando algumas estruturas e dando ao joelho uma tendência maior ao valgo estrutural ou ao valgo dinâmico. 

Como o pé toca o solo com mais intensidade na parte medial, todo o restante dos membros inferiores tem uma tendência maior ao direcionamento medial. 

No geral, a pisada pronada está fortemente relacionada ao pé plano. Como o arco plantar é insuficiente para gerar a distribuição das cargas, estas acabam incidindo mais na parte medial. 

É importante entender que há diferentes níveis de pronação do pé. E que, embora a pisada pronada seja um fator de risco, ela não irá, por si só, necessariamente gerar dores no joelho. Sempre há mais fatores envolvidos. 

Porém, estudos mostram que pessoas com essa condição têm 95% mais chances de apresentar desordens no joelho do que pessoas com uma pisada neutra.  

Por isso, há formas de trabalhar para que a pisada seja melhorada, com palmilhas, fortalecimento e outras ferramentas. Em alguns casos, porém, a pisada pronada é estrutural. 

Confira também o artigo: Preparando os joelhos para corrida em 7 passos!

Pisada pronada e dores no joelho

Além do que já foi apresentado, é natural que pessoas com pisada pronada tenham desequilíbrios musculares também. Ativação excessiva de adutores de coxa, enfraquecimento de glúteo médio e outros são bastante comuns. 

Como a postura é no geral modificada, a ativação muscular também acaba sendo impactada. Naturalmente, isso é totalmente reversível e de fácil prevenção. 

De acordo com um estudo de Gross (2011), feito com 1903 mulheres idosas que apresentavam pé plano e pisada pronada, 63% das voluntárias possuíam algum tipo de dor no joelho. Este público apresenta 1,3 vezes mais chances de ter dores no joelho, quando comparados a pessoas do mesmo perfil, com pisadas neutras. 

Ou seja, a pisada pronada é um fator de risco importante para as dores no joelho e tem ligação direta com fatores de risco para outros problemas no joelho. Isso porque o mesmo estudo ainda mostrou que as pessoas com essa condição têm 1,4 vezes mais chances de desenvolverem lesões cartilaginosas no compartimento medial do joelho do que indivíduos com pisada neutra. Mas isso pode ser prevenido e melhorado. 

Palmilhas anti-pronação reduzem as dores no joelho?

Em um estudo de Lack (2014), foram analisados o alinhamento do joelho e quadril, imediatamente após a colocação de palmilhas em pacientes. O efeito imediato foi a redução da adução do quadril, diminuição da amplitude do pico médio do glúteo e rotação interna do joelho.

Um outro estudo de Telfer (2013), encontrou evidências iguais a esta. Ou seja, as palmilhas anti-pronação ajudam no reequilíbrio das forças que incidem diretamente sobre os joelhos de pessoas com pisada pronada. 

Porém, é importante salientar que esta é apenas uma das frentes que devemos atacar, para evitar ou tratar problemas. A descarga de peso mais uniforme ajuda, mas sozinha, não faz milagres.

É fundamental que quem apresenta pisada pronada ainda realize exercícios de fortalecimento e propriocepção, para estimular a melhora da distribuição de peso e descarga no pé. 

Mas e no caso dos atletas? Nada melhor do que avaliar a pisada pronada em corredores, para verificar a incidência do problema. 

Pisada pronada, posso correr? 

Em um estudo de MEI (2019), foram avaliadas as forças sobre quadril, joelhos e tornozelos em pessoas com pisada pronada durante corrida de 5 km em esteira. Foi possível verificar que os corredores apresentaram rotação interna de quadril e valgo dinâmico durante a prática. 

Uma pessoa com pisada pronada, sem dores ou lesão, pode correr. Há maratonistas de elite com esta condição. Porém, é importante saber que essa condição demanda cuidados. Palmilhas, reajustes posturais e musculares, são fundamentais.

O fortalecimento é obrigatório nesta situação. Periodização bem definida, para reduzir lesão por excesso de uso, também. Ou seja, se você tem pisada pronada, pode correr, praticar exercícios e ter uma vida normal. Apenas deve tomar cuidado para que isso não seja a origem de problemas no joelho. 

Se você já apresenta dores, busque ajuda de um ortopedista. 

 

Referências:

MEI, Q. Foot Pronation Contributes to Altered Lower Extremity Loading After Long Distance Running. Front Physiol. 2019. 

LACK, S. The immediate effects of foot orthoses on hip and knee kinematics and muscle activity during a functional step-up task in individuals with patellofemoral pain. Clin Biomech (Bristol, Avon). 2014. 

TELFER, S. Dose–response effects of customised foot orthoses on lower limb muscle activity and plantar pressures in pronated foot type. Gait Posture . 2013. 

Dr. Adriano Leonardi
[email protected]

Dr. Adriano Leonardi possui 20 anos de experiência em Ortopedia. É Médico Ortopedista Especialista em Joelho; Mestre em Ortopedia e Traumatologia; Médico do Esporte; Membro da Diretoria da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva; Colunista e Consultor dos Sites 'Eu Atleta' e 'Globo Esporte'. Agende sua Consulta: (11) 94754-9183

Não há comentários

Poste um Comentário

Olá!

Gostaria de receber uma ligação?