fbpx
 

10 principais dúvidas sobre condropatia

10 principais dúvidas sobre condropatias

10 principais dúvidas sobre condropatia

As condropatias é um termo médico que traduz a doença na cartilagem. Quando ocorre na patela também é conhecida como condromalácia patelar e é a causa mais comum de dor no joelho. Sua incidência é maior em mulheres, e é causada principalmente devido ao uso excessivo do joelho e, por esse motivo, é muitas vezes referida como “síndrome do uso excessivo”. Outros motivos para a condropatia são a redução da produção de cartilagem e líquido sinovial, que é a almofada protetora e o lubrificante, respectivamente, das articulações, alguma lesão ou luxação do joelho, alterações estruturais, artrite, hereditariedade ou alguma cirurgia prévia.

 

condropatia

Quem se trata de condropatia patelar ou não tem muitas dúvidas. Aqui abaixo, elenquei as 10 principais delas

 

1. Posso jogar futebol tendo uma condropatia?

Um estudo publicado recentemente mostra que a maioria dos jogadores com lesão cartilaginosa consegue retornar ao esporte, mas, caso o tratamento da doença cartilaginosa não seja realizado com sucesso, existe um rápido declínio da performance, inclusive em atletas profissionais.

 

Leia também: Graus da condropatia: Quais são as diferenças dos sintomas e tratamentos?

 

2. atletas profissionais também perdem cartilagem?

Alguns estudos apontam que a perda de cartilagem em atletas profissionais pode ser mais intensa do que ir amadores, principalmente aqueles que praticam modalidades de muito impacto.

3.A cartilagem pode se regenerar com cirurgia?

Sim. Diversas técnicas que estimulam a transformação da célula tronco em células cartilaginosas como a membrana de colágeno tem sido utilizado para esse propósito. Os resultados dependem da qualidade técnica do cirurgião, da indicação, do potencial regenerativo do paciente e da reabilitação.

4. As técnicas de regeneração da cartilagem tem sucesso?

Segundo a literatura, as taxas de sucesso vão em torno de 70 a 90%.
15% dos pacientes podem permanecer com algum sintoma de dor ou desconforto que não necessariamente esteja ligado a qualidade da cartilagem formada.

5. Posso correr sofrendo desgaste cartilaginoso?

Tanto a cartilagem quanto o menisco são estruturas que absorvem o impacto em todas atividades, principalmente na corrida.
Em tese, todos podem correr desde que tenham força e capacidade de absorção de energia cinética na musculatura.
Pessoalmente, costumo esgotar todos os métodos possíveis para o retorno a corrida. Nos pacientes que não tem certeza se querem voltar a correr, costumo orientar a troca de atividade física aeróbica para o ciclismo e natação

6. É possível recuperar a cartilagem do joelho?

O poder de regeneração cartilaginosa espontâneo é muito baixo, levando alguns autores a dizer que ela não se regenera. Quando a cartilagem do joelho se regenera, isso pode acontecer pela formação de um tecido semelhante ao original chamado de fibro cartilagem.
Pessoalmente, leva muito mais em conta a qualidade do movimento, pois a melhoria do mesmo reduzir o risco da progressão de uma lesão cartilaginosa.

 

condropatia

7. Quanto tempo para se recuperar de uma lesão da cartilagem no joelho?

Como a cartilagem é um tecido de crescimento muito lento, todo tratamento, cirúrgico ou não, mesmo que bem-sucedidos tem resultado sempre a longo prazo.
Em geral, o paciente deixa de ter sintomas após o sexto mês e o retorno ao esporte de contato e de impacto costuma ser por escrito após esse período

8. O que é bom para repor cartilagem?

Apesar de controverso, acredita-se que uma alimentação bem balanceada estimulem as células cartilaginosas a produziram o colágeno tipo 2. Os nutrientes citados são os de origem animal come a carne vermelha, frango, ovos, peito de peru, dentre outros.

9. Como evitar o desgaste cartilaginoso?

Métodos simples como a manutenção de um peso saudável, alimentação equilibrada e a prática de atividade física moderada, segundo a ciência são os melhores ferramentas para se evitar a perda de cartilagem

10. O que fazer quando não se tem mais cartilagem no joelho?

O tratamento vai sempre depender da idade, grau de atividade física.
Medidas não cirúrgicas como a fisioterapia, prescrição de atividade física são a base da pirâmide de seu tratamento.
Intervenções médicas como a viscossuplementação e infiltração articular com outros ortobiológicos podem ser utilizados. Em casos avançados, cirurgias como a osteotomia, subcondroplastia e prótese de joelho podem ser indicadas.

O que fazer quando se tem desgaste no joelho?

O mais importante é sempre o acompanhamento médico. A primeira medida é sempre saber por que o desgaste cartilaginoso está acontecendo. Ou seja, se está vindo de um distúrbio biomecânico, aumento de peso, erros de treinamento, ou se está ligado a fatores reumáticos e hereditários. Durante o tratamento, caso o paciente não melhore, pode-se indicar tratamentos cirúrgicos como a membrana de colágeno ou o transplante cartilaginoso.

Para aprofundar mais o tema, gravei um vídeo falando sobre Condropatia grau 1, 2, 3 e 4: sintomas e tratamento. Confira abaixo!

 

Dr. Adriano Leonardi
[email protected]

Dr. Adriano Leonardi possui 20 anos de experiência em Ortopedia. É Médico Ortopedista Especialista em Joelho; Mestre em Ortopedia e Traumatologia; Médico do Esporte; Membro da Diretoria da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva; Colunista e Consultor dos Sites 'Eu Atleta' e 'Globo Esporte'. Agende sua Consulta: (11) 94754-9183

Não há comentários

Poste um Comentário

Olá!

Gostaria de receber uma ligação?