Tratamento Não Cirúrgico da Lesão do Ligamento Colateral Lateral – LCL

Tratamento Não Cirúrgico da Lesão do Ligamento Colateral Lateral

Tratamento inicial

 

Do mesmo modo de outras lesões agudas nos tecidos moles, o tratamento inicial de uma lesão no ligamento colateral lateral inclui aplicação de gelo, além de utilização de compressão focalizada e repouso com um imobilizador de joelho de 10 a 15 dias. O emprego de muletas para a movimentação também pode ajudar na promoção de uma locomoção mais confortável.

Tratamento não cirúrgico

Em casos de lesões que apresentem graus I e II, estas devem ser tratadas com um bom programa de fisioterapia e modificação das atividades para aliviar a dor.

A reabilitação vai empregar um programa adequado de fortalecimento muscular, com ênfase na região do quadríceps e os músculos posteriores laterais da coxa (bíceps femoral).

Exercícios isométricos para o quadríceps devem ser realizados regularmente com o joelho dobrado, isto por que a extensão ativa total do joelho, em grande parte dos casos, coloca uma tensão dolorosa no ligamento.

Devendo ser iniciada logo após o diagnóstico da lesão, a fisioterapia pode incluir a utilização de ferramentas e exercícios prescritos pelo fisioterapeuta.

Para que a recuperação seja realizada de maneira mais rápida, é indicado que se aplique uma compressa de gelo exatamente no local da lesão durante cerca de 15 minutos. Esta aplicação deve ocorrer duas vezes ao dia. Utilizar uma joelheira para proteger o joelho em casos de eventuais complicações também pode ajudar.

É bastante comum fisioterapeutas utilizarem ferramentas e aparelhos como tens, ultrassom, laser, e alguns exercícios de alongamento e de fortalecimento muscular. O paciente deve realizar exercícios de amplitude de movimento do joelho somente em decúbito ventral. Com tratamento adequado e reabilitação, o prognóstico para lesões do LCL é bom a excelente.

 

Infiltração do ligamento colateral lateral

 

De maneira semelhante ao ligamento colateral medial a cicatrização do ligamento colateral lateral pode formar traves fibrosas que podem causar dor e limitação do arco de movimento. Quando isso ocorre na fase tardia da cicatrização do ligamento, costumamos realizar infiltração em “leque” na região da dor para o alivio de sintomas e retorno ao exporte.

 

Manutenção da capacidade cardiorrespiratória

 

Nesta fase, é muito importante que atletas mantenham a capacidade cardiorrespiratória. Os exercícios devem ser prescritos pelo médico que tenha formação em medicina do exporte, visando a máxima manutenção do Vo2 máximo e, de acordo com os sintomas do paciente. Estes podem incluir a natação com ou sem flutuador de pernas, ciclismo indoor e outdoor, cicloergômetro de braço, elíptico e remo.

 

Continue lendo

 

+ O que é a Lesão do Ligamento Colateral Lateral
+ Diagnóstico da Lesão do Ligamento Colateral Lateral
+ Tratamento Cirúrgico da Lesão do Ligamento Colateral Lateral
+ Prevenção da Lesão do Ligamento Colateral Lateral