Diagnóstico e Tratamento do Derrame Articular

Como é Feito o Diagnóstico do Derrame Articular?

Infelizmente, na grande maioria das vezes, o derrame articular acaba sendo negligenciado e causas que levaram a que ele ocorra acabam não sendo elucidadas. Em atendimentos de emergência, é comum que não se puncione ou, quando puncionado, que o liquido seja desprezado.

 

Derrame Articular diagnóstico e tratamentoOs guidelines da grande maioria das sociedades nacionais e internacionais de ortopedia e reumatologia determinam que todo derrame articular deve ser puncionado (retirado por agulha) e enviado para análise em laboratório, principalmente aqueles que não tem ligação com traumas agudos (contusões e entorses). Esta análise nos trará dados muito importantes sobre a causa do derrame. O fluído pode ser testado para: bactérias que podem estar causando infecção, cristais, proteínas e glicose que podem indicar gota ou outras condições células do sangue que podem indicar lesão. Além disso, a remoção de parte do fluído também pode aliviar a pressão no joelho.

 

O histórico médico e familiar é muito importante, pois algumas doenças tem cunho genético-familiar. A modalidade esportiva e a periodização do treino também são muito importantes. A seguir, faz-se o exame físico completo, em busca de dor, bloqueios e sinais de ruptura de ligamentos.

 

Derrame Articular Associado a Lesão dos Ligamentos Cruzados Anterior e Posterior do Joelho

Lesões do ligamento cruzado anterior (LCA), tipicamente se apresentam após uma desaceleração sem contato, um movimento de “corte” ou hiperextensão (quando se estica muito o joelho), muitas vezes acompanhado por um “pop” ou estalido, com a incapacidade de continuar a participação esportiva e a instabilidade do joelho associada.

 

O ligamento cruzado posterior (LCP) é lesado com muito menos frequência do que o LCA. O mecanismo típico de lesão do LCP é uma contusão na tíbia proximal anterior com o joelho fletido, como tropeçar em um obstáculo ou bater no painel em um acidente de automóvel. Pacientes com lesões do LCP tendem a relatar menos instabilidade e inchaço do que pacientes com lesão do LCA.

 

Derrame Articular diagnóstico e tratamentoEm todos os casos, deve ser determinado o mais rápido possível como ocorreu o inchaço após a lesão. Se um derrame evoluiu dentro de quatro horas após a lesão, existe uma alta probabilidade de lesão óssea, ligamentar ou meniscal importante. Se a dor permitir, são aplicados testes ligamentares, avaliando-se a estabilidade da articulação e, em seguida, exames de imagem como a ressonância magnética devem ser solicitados.

 

Derrame Articular Lento e Progressivo

Lesões por uso excessivo da articulação, ou microtraumas repetitivos, ocasionalmente apresentam inchaço no joelho. Questões importantes a serem levadas em conta incluem qual atividade recreativa ou ocupacional estava envolvida, com que rapidez ocorreu ou resolveu o inchaço, e se algum auto-tratamento foi tentado. Uma variedade de doenças infecciosas pode se apresentar como artrite monoarticular com vermelhidão, inchaço e dor articular. Doenças inflamatórias agudas, como gota e pseudogota, frequentemente apresentam-se de maneira semelhante. Doenças imunológicas, como síndrome de Reiter, artrite reumatoide e febre reumática também podem causar derrame no joelho. O joelho é a articulação mais comum envolvida em tumores benignos e malignos.

 

Como dito anteriormente, nestes casos, a punção e analise do líquido articular, além dos exames de sangue tem muita importância para que a causa seja encontrada.

 

Exame Físico

O exame do joelho no derrame articular deve ser abordado de maneira sistemática e sempre em comparação com o joelho não afetado é essencial. Começamos examinando todo o membro inferior, avaliando o alinhamento, a função sensorial e motora e a integridade vascular. A amplitude ativa de movimento é então avaliada (capacidade de dobrar e esticar o joelho).

 

A patela e toda a cartilagem articular são palpados em busca de dor, crepitação e inchaço localizado. A presença ou ausência de inchaço deve ser notada.

 

Muito importante que o derrame intra-articular seja diferenciado de condições como a bursite pré-patelar (inchaço fora do joelho), o cisto de Baker (inchaço atrás), a irritação do coxim adiposo inferior (também chamado de “hoffite” e a tendinite patelar, que podem apresentar inchaço ao redor do joelho. Inchaço dentro do joelho é evidente em toda a articulação, enquanto o inchaço fora do joelho tende a ser mais localizado. Se houver líquido intra-articular significativo, o joelho assumirá uma posição de repouso de 15 a 25 graus de flexão.

Tratamento do Derrame Articular

Na Urgência

Na avaliação inicial do derrame articular, quando volumoso e ligado à dor, independente da causa, o mesmo deve ser drenado (puncionado). É que chamamos de punção de alívio. O procedimento deve ser feito sob total assepsia e antissepsia e deve trazer alívio quase que imediato, permitindo que toda ou quase toda a amplitude de movimento do joelho seja alcançada. Como dito anteriormente, se possível, a análise do líquido deve ser efetuada por laboratório, exceto nos casos de entrose com presença de sangue na punção (hemartrose).

 

Derrame Articular diagnóstico e tratamentoA seguir, medicações podem ser prescritas como os analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos. Se o derrame articular for recidivante, pode-se também realizar uma injeção intra-articular de corticosteroides, aproveitando-se a posição da agulha. Hoje, a cortisona de escolha é a triancinolona devido a menores efeitos colaterais dentro e fora da articulação.

 

Dependendo do local onde o paciente é atendido, pode-se também indicar uma artroscopia do joelho, procedimento no qual uma câmera é inserida na articulação do joelho para que todas as estruturas sejam observadas e a reparadas imediatamente.

 

Após o atendimento de urgência, recomenda-se que o gelo seja aplicado sem contato direto com a pele por 30 minutos de 4 a 5x ao dia.

 

Para a locomoção, dependendo da causa do derrame, um par de muletas pode ser necessário para poupar a articulação e a musculatura adjacente. Nos casos onde há suspeita de lesão de ligamentos e meniscos, recomenda-se a imobilização do joelho.

 

Fora da Urgência

Após o diagnostico de derrame articular, independente de sua causa, a reabilitação deve ser iniciada, visando a analgesia e a cicatrização dos tecidos do joelho com recursos avançados como o laser e ultrassom e métodos que ativem e minimizem a perda da musculatura adjacente, em especial da musculatura anterior da coxa, o Quadríceps. Pois, como dito anteriormente, toda vez que o joelho incha, ocorre a chamada inibição muscular que, se não bem tratada levará a outros danos no joelho.

 

Derrame Articular diagnóstico e tratamento

 

Apesar de controverso, em algumas vezes, as joelheiras podem ser prescritas. Existem muitas joelheiras no mercado. Alguns são destinados a proteger os joelhos de lesões quando você pratica certos esportes. Alguns são usados para apoiar o joelho ou impedir que o joelho se mova após um procedimento médico. Nos derrames articulares não ligados ao trauma, acredita-se que o joelheira possa ajudar a patela a deslizar melhor e que haja melhor ativação muscular.

 

Derrame Articular diagnóstico e tratamentoO tratamento definitivo vai, obviamente, depender da causa do derrame articular. Quando ligado a causas reumáticas como a artrite reumatoide, síndrome de Reiter, gota e pseudo-gota, etc, idealmente, deve ser acompanhado por um médico reumatologista.

 

Quando ligado a doenças da cartilagem, o seguimento deve ser dado por um ortopedista especialista em joelho. Felizmente, hoje em dia, contamos com recursos regenerativos como a molécula modificada do ácido hialurônico e de procedimentos como o transplante de cartilagem, mosaicoplastia, micro-fraturas, biomembranas de colageno que tem revolucionado o tratamento das condropatias do joelho.

 

Continue Lendo

 

+ O que é Derrame Articular

+ Causas e Sintomas do Derrame Articular